“Tem candidato que ainda não absorveu a derrota.”

Afirmação do secretário de governo, Ernesto Roller, refere-se a comportamento da oposição nos primeiros dias de governo democrata

O secretário de governo, Ernesto Roller, foi um dos convidados desta quinta-feira (10) do programa Tarde CBN, da Rádio CBN Goiânia, ocasião em que voltou a defender as primeiras ações de Ronaldo Caiado (DEM) à frente da administração estadual. Segundo o gestor, a situação fiscal do estado exige detalhado diagnóstico, ao mesmo tempo em que a nova equipe toma medidas importantes, como o retorno do pagamento salarial dos servidores para o mês trabalhado a partir de janeiro.

“Os problemas são graves, são de uma gravidade ímpar, nunca vista na realidade política do Estado. Há uma dívida gigantesca e isso não se resolve, infelizmente, para todos nós, da noite para o dia. É um novo governo que muda a prática política e administrativa no Estado”, disse Roller.

Durante entrevista ao vivo, destacou a preocupação da equipe em resolver a situação daqueles que não receberam os salários de dezembro, já que “o servidor público é um patrimônio do Estado de Goiás, uma peça fundamental na administração publica. O governador está extremamente angustiado, porque são famílias que dependem disso para suas necessidades mais elementares. O próprio governo tem buscado redução de despesas com comissionados, custeio da máquina pública e ajuda federal para quitar as obrigações o mais rápido possível.”

Para Roller, diante do cenário de quase falência do estado, o discurso fácil da oposição não contribui em nada. Ele respondeu ao deputado federal Daniel Vilela (MDB), que tem criticado a gestão de Caiado no Twitter: “Em relação ao deputado, o governo vê sua imaturidade política. Parece que não absorveu a derrota no primeiro turno das eleições, vitória maiúscula do governo, e quer criar discurso fácil nesse momento. Estamos falando de 10 dias de governo e claro que os problemas são de gravidade ímpar, nunca vista na realidade política de Goiás”, afirmou aos jornalistas Nathália Lima e José Bonfim.

Sobre a suposta demora em fazer indicações, também questionada pela oposição, o secretário defendeu a postura de preencher os cargos do serviço público com critério técnico: “Essa é a clara demonstração de que o governo não esta sendo loteado, o que normalmente acontece”. E completou: “Estamos fazendo um governo voltado para o cidadão, abrindo mão de regalias e privilégios, a exemplo do anúncio feito hoje pelo governador Ronaldo Caiado, no Hospital Materno Infantil, ao doar dois carros de luxo que custam, cada um, mais de 350 mil reais para leilão a fim de custear a manutenção da unidade”.

Comunicação Segov

62 3201 5614

Utilizamos cookies essenciais e tecnológicos semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.